cirurgia de mama

2013
15.01
Pensando em colocar prótese de mama? Saiba mais a respeito.


Aumento de mama, também chamado de mamoplastia de aumento, envolve a colocação de um implante cirúrgico por trás de cada mama para aumentar o seu volume e melhorar a sua forma. Frequentemente, após a perda de peso, o parto, ou como um resultado do envelhecimento, os seios podem sofrer perda de volume e variações em suas formas.
Além disso, muitas mulheres optam por terem seus seios aumentados, a fim de satisfazer o simples desejo de um busto mais volumoso. O aumento da mama pode ser realizado em qualquer idade após o desenvolvimento final das mamas o que ocorre em torno de 5 anos após a menarca (primeira menstruação).
Técnica:
Atualmente no Brasil quase todas as mulheres submetidas a mamoplastia de aumento recebem implantes mamários de gel de silicone, que consistem em uma capa de silicone texturizada preenchida com o gel coeso de silicone.
Há também a prótese de poliuretano a qual também possui um preenchimento de gel de silicone, porém o seu revestimento (capa,envoltório) é feito de poliuretano.
A colocação da prótese pode ser feita via sulco mamário (na região mais inferior da mama), outra localização possível para a incisão é em torno do bordo inferior da aréola (a pele pigmentada em torno do mamilo). Uma terceira alternativa é fazer a incisão na axila.
Uma vez que a incisão é feita, o cirurgião cria uma bolsa em que o implante vai ser inserido. Esta bolsa pode ser feita, por trás da glândula mamária ou por baixo do músculo peitoral, que está localizado entre a glândula e a caixa torácica.
Benefícios:
Além de positivos resultados estéticos, estudos mostram também uma substancial melhora psicológica em alguns casos os pacientes muitas vezes recebem um impulso substancial psicológico.
Muitas vezes, é possível retornar ao trabalho dentro de uma semana, dependendo da natureza do seu trabalho.
Sempre importante utilizar a malha cirúrgica pós operatória, assim como evitar esforços por pelo menos 10-15 dias.
Não há evidência científica de que o aumento das mamas aumenta o risco de câncer de mama, doença auto-imune, ou qualquer doença sistêmica.
Não há evidências de que os implantes de mama afetem a gravidez ou a capacidade de amamentar.
Outras considerações:
Todos os procedimentos cirúrgicos possuem algum grau de risco desde os mais simples até os mais complexos
Potenciais complicações podem incluir reações à anestesia, acúmulo de sangue (hematoma), que pode precisar de ser drenado cirurgicamente, infecção, deiscência (abertura) de pontos
Mudanças na sensação mama ou do mamilo podem ocorrer após a cirurgia de aumento de mama, geralmente são temporárias durante no máximo em torno de 90 dias.

Quando um implante mamário é inserido, uma cápsula de cicatriz forma em torno dele, como parte do processo de cicatrização natural. A cápsula pode, por vezes, apertar e comprimir o implante, fazendo com que a mama fique parecendo mais firme do que o normal, processo que é chamado de contratura capsular.
Se a contratura capsular for muito severa pode causar desconforto, dor e até mudanças na aparência da mama.
Nestes casos uma cirurgia adicional pode ser necessária para modificar ou remover o tecido cicatricial, e em alguns casos pode ser necessário a remoção ou substituição o implante.
O gel de silicone medicinal utilizado nas próteses mamárias não causa nenhum dano ao organismo, mesmo em uma eventual ruptura da prótese
A gravidez pode alterar o tamanho e a forma da mama de uma forma imprevisível podendo afetar os resultados do aumento de mama a longo prazo.

Quando decidir realizar uma cirurgia de implante de mama procure um médico cirurgião plástico certificado pela sociedade brasileira de cirurgia plástica (SBCP), para maiores informações acesse: www.cirurgiaplastica.org.br
 

Tags: , , , , , , ,

terça-feira, janeiro 15th, 2013 Cirurgia Plástica 1 Comentário
2011
23.10
Férias de verão: tempo para cirurgia plástica.

Já foi o tempo onde os consultórios de cirurgia plástica ficavam cheios apenas nas férias de inverno. Devido às grandes férias escolares e muitas vezes também ao recesso no trabalho vários pacientes conseguem nas férias de verão o tempo ideal para realizarem a sua tão sonhada cirurgia plástica. Por ser um período de férias mais longo que no meio do ano os pacientes também conseguem mais tempo para os cuidados pós operatórios (repouso, sessões de fisioterapia, drenagem linfática, consultas e reavaliação) que são tão importantes para o resultado da cirurgia quanto o próprio procedimento cirúrgico.

Um cuidado importante após a realização da cirurgia , principalmente no verão é para o uso do protetor solar. Os pacientes devem estar atentos para o seu uso correto (conforme orientação médica) evitando assim o aparecimento de manchas indesejáveis.

Neste período de férias de verão as cirurgias mais procuradas nos consultórios tanto por homens quanto por mulheres são as cirurgias que definem e melhoram o contorno corporal.

Vamos então conhecer algumas delas:

Mamoplastia de Aumento (Prótese de Mama) › Continue reading

Tags: , , , , , , , ,

domingo, outubro 23rd, 2011 Cirurgia Plástica 4 Comentários
2011
07.08
Top procedimentos estéticos para homens

Se querem parecer mais jovens, mais masculinos ou simplesmente melhorar a sua aparência geral, os homens não estão se afastando dos procedimentos de cirurgia plástica.

Segundo a Sociedade Americana de Cirurgia Plástica, os homens foram submetidos a mais de 750.000 procedimentos cosméticos, ou 8 por cento do total realizado em 2010. No entanto, desde 1997, o número de procedimentos realizados em homens aumentou quase 90 por cento.

Os procedimentos mais comuns entre os homens atualmente são lipoaspiração, cirurgia de pálpebras, rinoplastia, redução de mama (ginecomastia) e otoplastia (cirurgia de orelha).

Mais de 37.000 homens foram submetidos a lipoaspiração (lipoaspiração) em 2010. Neste procedimento, parte do tecido gorduroso é removido das pernas, nádegas, abdômen, costas, braços, rosto e / ou pescoço usando um aparelho de vácuo. › Continue reading

Tags: , , , , , , ,

domingo, agosto 7th, 2011 Cirurgia Plástica Nenhum Comentário
2011
24.06
Silicone nos seios: qual o tamanho ideal?
Quero colocar silicone nos seios, mas não sei qual o tamanho ideal. O que é preciso levar em consideração na hora da escolha?

O que é preciso levar em consideração?

Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a cirurgia para inclusão de próteses de silicone nas mamas foi o procedimento cirúrgico mais realizado no ano passado. E isso se deve aos excelentes resultados que os cirurgiões plásticos conseguiram. Para um resultado natural, é necessário analisar o biotipo da paciente, levando em consideração seu contorno corporal, altura, peso, largura do tórax e etc. Com um olhar apurado e a experiência do profissional é possível oferecer um resultado bastante favorável e harmônico. › Continue reading

Tags: , , , ,

sexta-feira, junho 24th, 2011 Cirurgia Plástica Nenhum Comentário
2011
20.06
Os cuidados antes de colocar próteses de silicone

Um check list imprescindível para quem está pensando em turbinar os seios

Chris Bertelli, Fernanda Aranda, Lívia Machado, iG São Paulo

O silicone caiu no gosto das brasileiras, desbancou a lipoaspiração e hoje, segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), é a operação estética mais realizada no País. Em média, são 17 cirurgias do tipo feitas por hora (150 mil por ano).

Ainda que os números sugiram “uma linha de montagem”, os especialistas na área advertem: quem quer colocar prótese de silicone precisa passar por um pente fino de cuidados e exames antes de recorrer a este tipo de técnica.
Nesta segunda-feira, por exemplo, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vetou em todo território nacional a utilização da prótese Poly – marca fabricada na França. As mulheres que foram submetidas a implantes deste produto estão sendo convocadas a fazer exames e o “recall” trouxe à tona apenas uma das preocupações que as pacientes devem ter antes de fazer este tipo de cirurgia.

“O produto utilizado tem impacto direto na qualidade da plástica”, afirma o presidente da SBCP, Sebastião Guerra. “Os preços variam muito e uma prótese de menor qualidade até pode ser mais barata, mas compromete a saúde da mulher com a possibilidade de inflamação e infecção (chamadas de mastite)”, completa o médico, reforçando que a prótese proibida “não é quase utilizada no País”.

No rol do “quanto mais barato melhor” está o perigo até da utilização de silicones industriais (vendidos em frascos para serem usados em carros) que podem provocar mutações severas nas usuárias. Na mesma zona de perigo, as pacientes podem cair nas mãos de médicos sem especialização, que operam em espaços não habilitados para a prática.

José Tariki, membro da comissão de cirurgia plástica do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) salienta que os riscos do implante de silicone são baixos e o primeiro passo importante é a escolha do médico.

Para fechar o cerco às más práticas na cirurgia plástica, o Conselho Federal de Medicina (CFM) preparou um grupo técnico para fazer uma varredura em todas as clínicas estéticas do País. Por ser muito popular, a implantação da prótese de silicone encabeça os procedimentos a serem fiscalizados. A equipe sai às ruas no próximo semestre.

Para orientar quem deseja se submeter ao procedimento ouvimos especialistas e elaboramos uma lista com as informações sobre a cirurgia para colocação da prótese de silicone. Confira.

Lista de cuidados antes de turbinar os seios

1) A escolha do profissional
A orientação é escolher um médico com especialização em cirurgia plástica. Pesquisa do Conselho Regional de Medicina mostrou que 90% das denúncias de erro ou negligência em cirurgia plástica foram realizadas por profissionais sem o título de especialista. Para verificar se o médico é especialista acesse o site www.cirurgiaplastica.org.br.

2) O tamanho da prótese e o fator flacidez
A prótese sempre deve ser indicada pelo médico, levando em conta o tipo físico da paciente. Ainda assim, o profissional deve informar as opções de materiais para que a pessoa escolha. A prótese, quando bem escolhida, não causa flacidez futura. Mas vale salientar que com o passar do tempo a pessoa envelhece e a sustentação do seio já não é a mesma. A prótese não corrige a flacidez, ela apenas aumenta o volume do seio.

3) Desarmonia estética
A desarmonia é facilmente evitada. Depende da habilidade e do planejamento do cirurgião. Existem diversos tipos e formatos de prótese. É uma escolha do médico, que deve explicar para as pacientes qual a prótese ideal para ser implantada.

4) Dor nas costas
O aumento dos seios com a colocação do silicone, em geral, não causa dor nas costas. Uma prótese de 300ml, por exemplo, pesa 250 gramas. Para ocasionar um distúrbio postural e, consequentemente, dor nas costas, o volume utilizado precisaria ser muito grande e a paciente muito magra ou com musculatura atrofiada. Por isso, é importante sempre ouvir o médico na hora de definir o tamanho da prótese.

5) Diagnóstico de câncer de mama
A ressalva é para mulheres que têm histórico de câncer de mama na família. Elas devem informar isso ao médico e dicustir os riscos e benefício do implante. Em geral, não há problema, mas é necessário um acompanhamento mais próximo da paciente. Não há evidência de que o implante de silicone impeça o diagnóstico de câncer de mama. Até mesmo pelo exame clínico é possível notar alguma diferença na mama. No passado, os aparelhos mais antigos falhavam mais no diagnóstico. Hoje o problema foi sanado. Exames comuns, como a mamografia, são plenamente capazes de ajudar no diagnóstico mesmo em quem usa a prótese. O médico também pode utilizar o ultrassom e a ressonância magnética no diagnóstico.

6) Pós-operatório dolorido
Em geral, a paciente não sente dor após a cirurgia de implante de silicone. No entanto, a resposta do corpo depende de cada indivíduo, do tamanho da prótese e da localização do implante. Se ele for colocado atrás do músculo, é possível que a mulher sinta dor durante dois ou três dias, tolerável com o uso de analgésicos.

7) Hematomas
O aparecimento de hematomas após implante pode acontecer em casos extremos, logo após a cirurgia. Eles ocorrem quando os vasos na região operada são obstruídos e param de sangrar, formando manchas rochas na pele. Para corrigir, é preciso um novo procedimento cirúrgico, mais simples e rápido.

8) Quelóide
Nem mesmo médicos experientes conseguem prever quais mulheres irão desenvolver quelóide após a cirurgia. São aquelas cicatrizes vermelhas, mais espessas e mais frequentes na pele negra. Os médicos alertam que o quelóide é raro. Quem já teve quelóide em algum processo de cicatrização deve avaliar se vale a pena colocar o implante.

9) Estrias
O risco, é o mesmo que existe para as gestantes. Cabe ao cirurgião informar as conseqüências. A pele de algumas mulheres tem uma resistência mais baixa, que não suporta o aumento da mama. O médico precisa identificar se a paciente tem esse problema e orientá-la. Existem diversos tratamentos que ajudam aliviar as estrias, embora o resultado ainda seja inconsistente.

10) Encapsulamento
Esse problema, que acontece quando o silicone é rejeitado pelo organismo e precisa ser retirado, foi bem comum nas próteses mais antigas. Trata-se de uma defesa do organismo contra corpos estranhos. Hoje, com os novos materiais, é um tipo de reação bem mais rara, mas que ainda acontece em 4% das operações.

11) Sensibilidade
Normalmente não ocorre alteração na sensibilidade dos seios, já que a inserção da prótese não interfere na pele e nem no tecido mamário.

12) Amamentação
Não é verdade que mulheres com silicone não podem amamentar. Quando a prótese é colocada pela axila ou por baixo do seio não há nenhum impacto na produção de lactose. Porém, quando o implante é feito pela aureola há uma redução de mais de 15% da produção de leite. Por isso, a mulher que ainda quer ter filhos precisa manifestar esse interesse ao médico.

13) Troca de prótese
Pode ser em 20 ou 30 anos, em alguns casos cinco ou dez. Os médicos dizem que não há como estimar precisamente o prazo para a troca de prótese, mas é uma necessidade que uma hora surge. Por isso, é preciso o acompanhamento médico

14) Visita periódica ao médico
Toda mulher com prótese de silicone deve informar ao seu ginecologista que tem o implante. Isso faz com que nas consultas de rotina o profissional dê uma atenção especial às mamas. Outra orientação é fazer exames de ultrassom pelo menos uma vez ao ano.

Tags: , , , , ,

segunda-feira, junho 20th, 2011 Cirurgia Plástica Nenhum Comentário
2011
24.05
GNT – Seios maiores são melhores?

Tags: , , , , ,

terça-feira, maio 24th, 2011 Cirurgia Plástica Nenhum Comentário